Rate this item
(0 votes)

Segurança Publica de Minas Gerais.

Viemos levar a todos do Estado de Minas Gerais, nossa imensa preocupação com a Saúde do Servidor da Segurança Publica.

Por uma Serie de motivos que esta adoecendo e até mesmo levando os colegas a cometerem atos de suicídios. Sem falar dos vícios com bebidas alcoólicas, drogas, problemas familiares conjugais, dentre outros.

Nesse sentido, queremos aqui falar da Carga Horaria, pois se Governos passados tivessem colocado pessoas competentes que realmente “batesse no peito” e defendesse aqueles que defendem a sociedade 24 horas por dia a situação não estaria ao ponto que chegou.

E agora com novo Governo em MG, aos 8 meses de administração estamos vendo a Segurança Publica passar por situações que se tratando quanto a Saúde do Servidor é só noticias ruins.

O qual sabemos de vários problemas dentro do Sistema Prisional:

Superlotação

Falta de Recursos Humanos e Materiais

Assédios Morais

Descumprimento de Legislação;

Dentre vários outros, que se formos citar demostra o caos do Sistema Prisional, como a alimentação e falta de estrutura nas Unidades Prisionais. 

E agora o que assombra a qualidade de vida dos Agentes Penitenciários foi o Secretario de Estado de Justiça e Segurança Publica segundo os Diretores de Risp, determinar o fim da escala 24x72 em algumas Unidades o qual vinha tendo resultados positivos.

De enorme indignação da categoria segundo ainda informações nas reuniões dos Diretores de Unidade e Regionais, é que o Secretario General Araújo deu a ordem e nada mais.

E outras indignações também é que logo apos as visitas nas Unidades, em entrevista o Secretario dizer que as suas visitas são técnicas e que também e para melhorar as condições de trabalho dos Agentes Penitenciários.

Como assim?

Não dialogando com os mesmos, e dando a ordem para que a escala de Serviço de 24x72 seja retirada.

Uma vez que a classe nem esta questionando a falta de reconhecimentos, valorização, treinamentos, compra de armamentos do próprio bolso, questões salariais e adicionais, politicas de combate ao Assedio Moral e favorecimento dentro da Unidades, desvios de finalidade, dentre vários. Apenas poder ter condições de trabalho em tempo suficiente de descanso, para poder atuar nas atribuições do cargo frente a ressocialização do preso em Unidades que se encontra superlotadas.

Sendo assim a Presidência da Associação AMAFMG já realizou reunião com Diretor de Risp, e também conforme Oficio anexo já esteve na Cidade Administrativa na data de 21/08 protocolando com URGENCIA documento para o senhor Secretario e também para o Secretario Adjunto demostrando o quanto a escala 24x72 é positiva, e já sugerindo que na sua manutenção, pelo menos até que se monte uma comissão onde possa ter agentes penitenciários para fazer estudos, e implantar em Minas Gerais uma Carga Horaria Digna e Humanizada.

A AMAFMG, na pessoa de seu presidente Fundador Júlio Costa esta empenhado diretamente em mais essa causa, para diálogo com o Governador Romeu Zema e também com Parlamentares na ALMG que realmente estão com a camisa do Sistema Prisional.

Tenha certeza Agentes Penitenciários, todos sabem que é com a união com pessoas serias, responsáveis que podemos avançar. Deixando claro que essa pauta da carga Horaria do Sistema Prisional a AMAFMG oficializou em 2017 deputados que ai ainda estão e dizem vestir a camisa do Sistema Prisional, ou seja se lá atrás tivessem solucionado essa pauta, hoje a situação não seria essa, de todo desespero dos colegas.

 

 


Unidos Somos Mais Fortes.

Júlio Costa Presidente

Movimento Ordem e Progresso - MOP MG

Presidente Fundador da AMAFMG

O futuro ministro da Justiça e da Segurança Pública, Sérgio Moro, anunciou nesta segunda-feira (26) a criação da Secretaria de Operações Policiais Integradas, para articular ações policiais entre o governo federal e os estados. Para o cargo, ele convidou o delegado da Polícia Federal Rosalvo Ferreira Franco, que foi o superintendente da Polícia Federal (PF) no Paraná por duas vezes, incluindo durante o auge da Operação Lava Jato, entre 2013 e 2017.

"A ideia da secretaria é poder coordenar operações policiais a nível nacional. Hoje nós temos muitos grupos e atividades criminosas que transcendem as fronteiras estaduais e essa ação precisa, muitas vezes, de uma coordenação a nível nacional. Isso já é feito, de certa maneira, dentro do Ministério da Segurança Pública, mas a criação de uma secretaria específica pra isso é de todo oportuno, na nossa avaliação", afirmou Moro.

O futuro ministro destacou a atuação de Rosalvo na Operação Lava Jato como credenciais para sua indicação como secretário. "É um delegado que permaneceu um longo tempo na superintendência da PF em Curitiba, durante o auge da Operação Lava Jato, ele foi sucedido, inclusive, pelo delegado Maurício Valeixo. E o delegado Rosalvo provou seu valor, a sua integridade e sua competência durante esse trabalho. É um grande nome para exercer essa função, considerando toda a sua experiência policial", acrescentou.

Para dirigir o Departamento Penitenciário Nacional (Depen), Sergio Moro anunciou a indicação do também delegado da Polícia Federal Fabiano Bordignon, atualmente delegado-chefe da PF em Foz do Iguaçu (PR). 

"É uma função estratégia, nós todos sabemos que os presídios, no Brasil, hoje constituem uma espécie de problema, devido a questão de superlotação e fragilidade de certos presídios", disse Moro, ao comentar a escolha. Ele lembrou da atuação de organizações criminosas dentro das prisões e ainda ressaltou a experiência do delegado na administração penitenciária. 

"O senhor Fabiano Bordignon já foi, por mais de um vez, diretor de penitenciária federal. Eu, quando juiz corregedor da penitenciária federal de Catanduvas (PR), a primeira que foi criada no Brasil, tive a oportunidade de trabalhar com o sr. Fabiano Bordingnon, e é um profissional extremamente qualificado pra exercer essa função, não só fortalecendo os presídios federais, mas igualmente contribuindo para o aprimoramento e fortalecimento dos presídios estaduais.         

Sergio Moro ainda defendeu a construção de mais presídios em menor tempo.

Fonte: Agência Brasil

Vinte e seis integrantes de uma facção criminosa ligada ao tráfico de drogas, homicídios e danos ao patrimônio, como queima de ônibus, começaram a ser ouvidos nesta segunda-feira (26) no Fórum Lafayette, em Belo Horizonte. O processo corre em segredo e envolve 28 réus – sendo que dois estão foragidos –, conforme a Justiça.

As audiências de instrução e julgamento tiveram início por volta das 12h, e os interrogatórios devem durar até sexta-feira (30). Cada integrante será ouvido individualmente, na presença da defesa ou Defensoria Pública e do Ministério Público de Minas Gerais (MPMG). Há previsão também de oitiva de testemunhas.

 
Comboio traz réus que serão interrogados sob forte escolta policial — Foto: Flávia Cristini/G1Comboio traz réus que serão interrogados sob forte escolta policial — Foto: Flávia Cristini/G1

Comboio traz réus que serão interrogados sob forte escolta policial — Foto: Flávia Cristini/G1

Um forte esquema de segurança foi montado dentro e no entorno do prédio para o período das audiências. Segundo o fórum, cerca de 260 policiais militares estão envolvidos, incluindo o batalhão de trânsito, o Batalhão de Operações Policiais Especiais (Bope) e o de Rondas Táticas Metropolitanas (Rotam) com o apoio de helicóptero.

Um comboio trazendo os 26 réus chegou ao fórum por volta das 11h, escoltado por viaturas e policiais altamente armados. O Batalhão de Choque já aguardava em uma das laterais do prédio, onde Polícia Militar montou um posto de comando. A Rua Ouro Preto foi bloqueada para trânsito e há policiais posicionados em pontos estratégicos do lado de fora.

 

"Desde a semana passada, a Polícia Militar vem trabalhando com ações antecipatórias. Agora, estamos com escolta, helicóptero, drones, exatamente para garantir que haja tranquilidade. A inteligência está monitorando qualquer processo de comunicação que possa trazer avaliação de riscos", disse o major Flávio Santiago, porta-voz da Polícia Militar (PM).

Outras audiências já agendadas serão mantidas ao longo da semana.

 
Policiais militares do Batalhão de Choque se posicionaram em frente ao Fórum Lafayette. — Foto: Flávia Cristini/G1Policiais militares do Batalhão de Choque se posicionaram em frente ao Fórum Lafayette. — Foto: Flávia Cristini/G1

Policiais militares do Batalhão de Choque se posicionaram em frente ao Fórum Lafayette. — Foto: Flávia Cristini/G1

 

Ataques

 

No meio do ano, houve uma onda de ataques a coletivos e locais públicos em Minas Gerais, e o governador Fernando Pimentel (PT), associou os ataques à organização criminosa.

Foram mais de 100 ataques, incluindo mais de 70 ônibus incendiados. À época, cerca de 120 suspeitos envolvimento em queima de ônibus chegaram a ser presos, segundo a Secretaria de Estado de Segurança Pública.

 
Onda de ataques a ônibus em meados de 2018 em Minas foi atribuída a facção criminosa  — Foto: Reprodução/TV GloboOnda de ataques a ônibus em meados de 2018 em Minas foi atribuída a facção criminosa  — Foto: Reprodução/TV Globo

Onda de ataques a ônibus em meados de 2018 em Minas foi atribuída a facção criminosa — Foto: Reprodução/TV Globo

 

O futuro ministro da Justiça e Segurança Pública, Sergio Moro, esteve na manhã desta terça-feira (20), no Supremo Tribunal Federal para uma visita cortesia ao presidente da Corte, ministro Dias Toffoli. O Broadcast Político apurou que Toffoli comentou sobre sua preocupação com o índice de homicídios no Brasil e atualizou o futuro ministro a respeito de ações do CNJ (Conselho Nacional de Justiça) para a promoção de melhorias no sistema prisional brasileiro.

Toffoli também contou a Moro sobre a atual parceria do CNJ, presidido por ele, com o Ministério da Segurança Pública e o Tribunal Superior Eleitoral para aquisição de tornozeleiras eletrônicas e o cadastro biométrico de presos. O encontro, que não estava inicialmente na agenda de Toffoli, foi solicitado por Moro e durou 15 minutos.

Na última sexta-feira, o ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, e Dias Toffoli assinaram um termo de repasse de R$ 35 milhões para o CNJ, para a implementação de ações voltadas para a digitalização e a unificação das bases de dados dos processos penais do País. No final de outubro, os ministros assinaram um outro termo que permitia a transferência inicial de R$ 20 milhões ao CNJ para desenvolver estratégias que reduzam a superlotação carcerária por meio do incremento da adoção de penas alternativas e de centrais de monitoramento de tornozeleiras eletrônicas.

 

Após o evento que firmou o segundo repasse na semana passada, Jungmann disse acreditar que Moro dará continuidade à parceria firmada entre o ministério e o CNJ para a promoção de melhorias ao sistema prisional brasileiro. "Não vejo nenhuma possibilidade de não se querer levar isso adiante, porque essa medida é um salto na segurança, na precisão e na rapidez do combate ao crime organizado", disse a jornalistas.

 

"Evidentemente ele cuidará disso. Porque a (pasta da) Segurança, pelo que li nos jornais, irá para dentro da (pasta da) Justiça. Moro irá cuidar disso como estamos cuidando até aqui. A essa altura o dinheiro já está logo mais na conta do Conselho Nacional de Justiça e será tocado por aqui em conjunto com o Departamento Penitenciário Nacional", disse Jungmann.

A jornalistas, Jungmann disse ainda que encontrou-se recentemente com Moro e passou três horas apresentando a equipe, a Política Nacional de Segurança e os números necessários para que ele possa comandar o futuro superministério. "Inclusive, disponibilizei uma sala lá no ministério para que ele possa se reunir com a equipe quando quiser. Tenho estado em contato com ele, atendendo as demandas. É muito fluído e muito fácil nosso relacionamento."

O juiz Sergio Moro antecipou sua saída da magistratura, após 22 anos de carreira, para assumir imediatamente um cargo executivo na equipe de transição de Bolsonaro. Inicialmente, Moro havia solicitado férias relativas a um período que estava em aberto e se desligou dos processos da Lava Jato, que conduziu por quatro anos e sete meses. Ele planejava se despedir da toga só no final de dezembro, para efetivamente poder ser nomeado ministro de Bolsonaro.

Monday, 08 October 2018 22:07

Romeu Zema entrevista TV Alterosa

Romeu Zema entrevista TV Alterosa
08/10 as 13:00 hs

Acabou de dar entrevista

Disse que vai haver mutirão do MP e defensoria pública em referência aos presos provisórios

Falou que tera somente 9 secretarias e que não terá indicação política, somente por competência técnica


Falou que for eleito, só receberá a salário de governador depois de todo o funcionalismo voltar a receber normalmente


E que não vai morar no palácio, e sim em sua casa, e não vai usar helicópteros e nem carros oficiais do Estado, será tudo de uso particular dele.

 

O mesmo irá ainda na oportunidade falar de algumas pautas de interesse do Sistema Prisional.

Cargos diretores e cargos na Seap
Adicionais da categoria, como noturno, escolaridade,
Carga horária.
Corregedoria do sistema.
Serviço de inteligência do sistema prisional.
Superlotação.
Recursos materiais.
O concurso
E é claro a comissão para realmente resolver a lei orgânica.
Etc.

Minas gerais mostrou sua honra.

Não pactuando com PT de Dilma e Pimentel e com PSDB de Aécio, Alkimim e Anastásia. Os resultados estão aí.

 

 

*Somos todos 17 e 30.


Bolsonaro e Zema.*

Eleitores de 853 municípios mineiros foram às urnas neste domingo (07/10/2018) para votar em deputado federal, deputado estadual, senador, governador e presidente. Minas Gerais possui um total de 15.695.210 eleitores, divididos em 48.166 seções. Confira o resultado da votação:

 

GOVERNADOR DE MINAS GERAIS – (100% das seções apuradas)
Romeu Zema (NOVO) – 42,73% (4.138.967 votos)
Antonio Anastasia (PSDB) – 29,06% (2.814.704 votos)
- Fernando Pimentel (PT) – 23,12% (2.239.979 votos)
- Adalclever Lopes (MDB) – 2,77% (268.683 votos)
- Dirlene Marques (PSOL) – 1,38% (133.986 votos)
- João Batista Mares Guia (REDE) – 0,59% (56.856 votos)
- Claudiney Dulim (AVANTE) – 0,19% (18.330 votos)
- Jordano Metalúrgico (PSTU) – 0,16% (15.742 votos)
* Romeu Zema e Antonio Anastasia vão disputar o segundo turno.

 

SENADOR EM MINAS GERAIS – (100% das seções apuradas)
Rodrigo Pacheco (DEM) – 20,49% (3.616.86 votos)
Carlos Viana (PHS) – 20,22% (3.568.658 votos)
- Dinis Pinheiro (SD) – 18,42% (3.251.175 votos)
- Dilma Rousseff (PT) – 15,35% (2.709.223 votos)
- Rodrigo Paiva (NOVO) – 7,61% (1.342.645 votos)
- Miguel Correa (PT) – 7,27% (1.282.946 votos)
- Fábio Cherem (PDT) – 5,10% (899.824 votos)
- Duda Salabert (PSOL) – 1,99% (351.874 votos)
- Coronel Lacerda (PPL) – 1,74% (307.197 votos)
- Tulio Lopes (PCB) – 0,52% (92.165 votos)
- Kaka Menezes (REDE) – 0,49% (86.771 votos)
- Bispo Damasceno (PPL) – 0,32% (56.126 votos)
- Vanessa Portugal (PSTU) – 0,30% (53.272 votos)
- Edson André (AVANTE) – 0,17% (29.869 votos)
* Rodrigo Pacheco e Carlos Viana estão eleitos.

DEPUTADOS ESTADUAIS ELEITOS EM MINAS GERAIS

Confira a lista dos deputados estaduais eleitos em Minas Gerais neste domingo (7/10/2018):

1 – Mauro Tramonte (PRB) – 516.390 votos
2 – Sargento Rodrigues (PTB) – 123.648 votos
3 – Bruno Engler (PSL) – 120.252 votos
4 – Cleitinho (PPS) – 115.491 votos
5 – Noraldino Junior (PSC) – 114.807 votos
6 – Cássio Soares (PSD) – 113.003 votos
7 – Leandro Genaro (PSD) – 98.717 votos
8 – Beatriz Cerqueira (PT) – 96.824 votos
9 – Léo Portela (PR) – 93.869 votos
10 – Virgílio Guimarães (PT) – 91.204 votos
11 – Fabio Avelar (Avante) – 83.718 votos
12 – Dr. Jean Freire (PT) – 82.867 votos
13 – Arlen Santiago (PTB) – 82.130 votos
14 – Delegada Sheila (PSL) – 80.038 votos
15 – Carlos Henrique (PRB) – 79.088 votos
16 – Cristiano Silveira (PT) – 79.079 votos
17 – Tito Torres (PSDB) – 78.862 votos
18 – Mário Henrique Caixa (PV) – 76.527 votos
19 – Delegado Heli Grilo (PSL) – 75920 votos
20 – João Vitor Xavier da Itatiaia (PSDB) – 75.256 votos
21 – Sávio Souza Cruz (MDB) – 74.822 votos
22 – Tadeuzinho (MDB) – 72.267 votos
23 – André Quintão (PT) – 71.604 votos
24 – Marília Campos (PT) – 71.329 votos
25 – Agostinho Patrus (PV) – 70.055 votos
26 – Rosângela Reis (Podemos) – 70.040 votos
27 – Antônio Carlos Arantes (PSDB) – 69.586 votos
28 – Dalmo Ribeiro (PSDB) – 69.342 votos
29 – Charles Santos (PRB) – 67.913 votos
30 – João Magalhães (MDB) – 67.817 votos
31 – Dr. Hely (PV) – 64.913 votos
32 – Ulysses Gomes (PT) – 63.776 votos
33 – Dr. Wilson Batista (PSD) – 62.052 votos
34 – Gustavo Valadares (PSDB) – 60.687 votos
35 – Neilando Pimenta (Podemos) – 60.630 votos
36 – Glaycon Franco (PV) – 60.373 votos
37 – Doorgal Andrada (Patriota) – 57.942 votos
38 – Celise Laviola (MDB) – 57.362 votos
39 – Duarte Bechir (PSD) – 56.745 votos
40 – João Leite (PSDB) – 56.297 votos
41 – Thiago Cota (MDB) – 55.868 votos
42 – Ione Pinheiro (DEM) – 55.634 votos
43 – Alencar da Silveira Jr. (PDT) – 54.372 votos
44 – Elismar Prado (Pros) – 53.842 votos
45 – Leonídio Bouças (MDB) – 52.593 votos
46 – Gil Pereira (PP) – 52.088 votos
47 – Braulio Braz (PTB) – 51.656 votos
48 – Leninha (PT) – 51.407 votos
49 – Luiz Humberto Carneiro (PSDB) – 50.341 votos
50 – Douglas Melo (MDB) – 49.027 votos
51 – Dr. Paulo (Patriota) – 48.927 votos
52 – Coronel Sandro (PSL) – 48.533 votos
53 – Zé Reis (PHS) – 45.746 votos
54 – Carlos Pimenta (PDT) – 43.492 votos
55 – Inácio Franco (PV) – 42.819 votos
56 – Bosco (Avante) – 42.556 votos
57 – Roberto Andrade (PSB) – 41.903 votos
58 – Marquinho Durval de Carbonita (PT) – 41.852 votos
59 – Gustavo Santana (PR) – 36.573 votos
60 – Celinho do Sinttrocel (PCdoB) – 35.840 votos
61 – Betão (PT) – 35.455 votos
62 – Laura Serrano (Novo) – 33.813 votos
63 – Bartô do Novo (Novo) – 31.991 votos
64 – Raul Belém (PSC) – 31.788 votos
65 – Professor Wendel Mesquita (SD) – 31.722 votos
66 – Cleiton Oliveira (DC) – 31.347 votos
67 – Osvaldo Lopes (PHS) – 31.161 votos
68 – Alberto Pinto Coelho Betinho (SD) – 28.104 votos
69 – Coronel Henrique (PSL) – 27.867 votos
70 – Repórter Rafael Martins (PRTB) – 27.503 votos
71 – Fernando Pacheco (PHS) – 25.091 votos
72 – Guilherme da Cunha (Novo) – 24.792 votos
73 – Ana Paula Siqueira (Rede) – 23.372 votos
74 – Professor Irineu (PSL) – 21.845 votos
75 – Gustavo Mitre (PSC) – 21.373 votos
76 – Zé Guilherme (PRP) – 19.341 votos
77 – Andreia de Jesus (PSOL) – 17.689 votos

DEPUTADOS FEDERAIS ELEITOS EM MINAS GERAIS

Com 100% das seções apuradas, a bancada mineira na Câmara dos Deputados está definida para o mandato 2019/2022. Confira os eleitos neste domingo (7/10/2018):

1 – Marcelo Alvaro Antonio (PSL) – 230.008 votos
2 – Reginaldo Lopes (PT) – 194.332 votos
3 – Andre Janones (Avante) – 178.660 votos
4 – Paulo Guedes (PT) – 176.841 votos
5 – Aurea Carolina (PSOL) – 162.740 votos
6 – Gilberto Abramo (PRB) – 162.092 votos
7 – Cabo Junio Amaral (PSL) – 158.541 votos
8 – Eros Biondini (PROS) – 157.394 votos
9 – Rogério Correia (PT) – 131.312 votos
10 – Padre João (PT) – 131.228 votos
11 – Rodrigo de Castro (PSDB) – 131.120 votos
12 – Weliton Prado (PROS) – 129.199 votos
13 – Misael Varella (PSD) – 128.537 votos
14 – Hercílio Coelho Diniz (MDB) – 120.489 votos
15 – Stefano Aguiar (PSD) – 115.795 votos
16 – Patrus Ananias (PT) – 112.724 votos
17 – Zé Silva (Solidariedade) – 109.335 votos
18 – Marcelo Aro (PHS) – 107.219 votos
19 – Aécio Neves (PSDB) – 106.702 votos
20 – Eduardo Barbosa (PSDB) – 105.969 votos
21 – Diego Andrade (PSD) – 105.803 votos
22 – Lincoln Portela (PR) – 105.731 votos
23 – Emidinho Madeira (PSB) – 103.533 votos
24 – Lafayette Andrada (PRB) – 103.090 votos
25 – Pinheirinho (PP) – 98.404 votos
26 – Subtenente Gonzaga (PDT) – 93.932 votos
27 – Margarida Salomão (PT) – 89.378 votos
28 – Dr. Mário Heringer (PDT) – 89.046 votos
29 – Odair Cunha (PT) – 87.891 votos
30 – Bilac Pinto (DEM) – 87.683 votos
31 – Fred Costa (Patriota) – 87.446 votos
32 – Domingos Sávio (PSDB) – 80.990 votos
33 – Paulo Abi-Ackel (PSDB) – 79.797 votos
34 – Dimas Fabiano (PP) – 74.223 votos
35 – Tiago Mitraud (Novo) – 71.901 votos
36 – Vilson da Fetaemg (PSB) – 70.481 votos
37 – Newton Cardoso Jr (MDB) – 69.900 votos
38 – Leonardo Monteiro (PT) – 68.686 votos
39 – Euclydes Pettersen (PSC) – 65.316 votos
40 – Lucas Gonzalez (Novo) – 64.022 votos
41 – Fábio Ramalho (MDB) – 63.149 votos
42 – Doutor Frederico (Patriota) – 60.950 votos
43 – Igor Timo (Podemos) – 60.509 votos
44 – Julio Delgado (PSB) – 58.413 votos
45 – Mauro Lopes (MDB) – 58.243 votos
46 – Delegado Marcelo Freitas (PSL) – 58.176 votos
47 – Franco Catarfina (PHS) – 53.390 votos
48 – Charles Evangelista (PSL) – 51.626 votos
49 – Léo Motta (PSL) – 51.073 votos
50 – Luis Tibe (Avante) – 50.474 votos
51 – Alê Silva (PSL) – 48.043 votos
52 – Greyce Elias (Avante) – 37.620 votos
53 – Zé Vitor (PMN) – 32.833 votos

PRESIDENTE DO BRASIL – (99,92% das seções apuradas)

Jair Bolsonaro (PSL) – 46,05% (49.258.789 votos)
Fernando Haddad (PT) – 29,25% (31.287.012 votos)
- Ciro Gomes (PDT) – 12,47% (13.338.432 votos)
- Geraldo Alckmin (PSDB) – 4,76% (5.093.894 votos)
- João Amoêdo (NOVO) – 2,51% (2.677.609 votos)
- Cabo Daciolo (PATRIOTA) – 1,26% (1.347.698 votos)
- Henrique Meirelles (MDB) – 1,20% (1.288.299 votos)
- Marina Silva (REDE) – 1,00% (1.069.102 votos)
- Alvaro Dias (PODEMOS) – 0,80% (859.396 votos)
- Guilherme Boulos (PSOL) – 0,58% (616.903 votos)
- Vera Lúcia (PSTU) – 0,05% (55.730 votos)
- Eymael (DC) – 0,04% (41.687 votos)
- João Goulart Filho (PPL) – 0,03% (30.161 votos)
* Jair Bolsonaro e Fernando Haddad vão disputar o segundo turno.

*AMAFMG*

*Associação Movimento dos Agentes Fortes de Minas Gerais*

_*Unidos Somos Mais Fortes*_

_Julio Costa_

Thursday, 20 September 2018 13:51

SEAP poderá ser extinta - Sistema Prisional

O senador Antonio Anastasia (PSDB) disse ontem ter consciência de que, se for eleito para o posto no pleito de outubro, temas relativos ao sistema prisional vão ser um dos grandes “gargalos” que vai enfrentar à frente do governo de Minas Gerais. Ele ainda afirmou que o Estado vive hoje uma situação de catástrofe. As declarações do tucano foram dadas durante encontro com diretores de Associações de Proteção e Assistência ao Condenado (Apacs), na região Centro-Sul de Belo Horizonte.

 

Na reunião, os membros da Fraternidade Brasileira de Assistência aos Condenados (Fbac) apresentaram 12 demandas para o postulante ao Palácio da Liberdade. Entre elas estão a aprovação de aumento da capacidade de atendimento das unidades já implementadas no Estado e a instituição de plano de cargos e salários para os funcionários.

 

Ainda segundo os representantes do grupo, muitas obras das Apacs estão paradas por conta da falta de repasses. Atualmente, há no Estado 38 centros em funcionamento que atendem cerca de 3.700 detentos. Outras 70 unidades estão em diferentes estágios, como na espera por fechamento de convênios com o Estado, e algumas delas nem mesmo saíram do papel.

 

Aos presentes na reunião, o candidato do PSDB ainda disse que a situação da administração estadual é catastrófica e que sabe-se lá ainda o que vai encontrar no governo de Minas. Por isso, de acordo com o tucano, num primeiro momento, se vencer as eleições, vai buscar parcerias com a sociedade e com iniciativa privada, até mesmo fora do país, para dar suporte às Apacs, uma vez que, segundo o tucano, são “onde a ressocialização (dos presos) se manifesta de forma mais clara”. 

 

O senador ressaltou que vai dar prioridade a esse modelo, entre outros motivos, por conta de ele ser mais econômico do que no sistema tradicional: “Eles disseram que há convênios prontos para serem assinados com o governo de Minas, de R$ 4 milhões, que gerariam 600 vagas para o sistema penitenciário. É um valor baixo perto da necessidade. Acho que vamos, como diz o ditado, fazer das tripas coração, já que os valores não são muito altos, e as Apacs ajudam resolver esse tema do sistema prisional, que é um dos grandes gargalos que, se eleitos, vamos enfrentar”.

 

Lotação. Questionado sobre como pretende resolver a questão da superlotação carcerária, Anastasia disse que a Lei do Sistema Único de Segurança Pública (Susp) vai facilitar o acesso dos Estados à União, mas ressaltou que é preciso investir em penas alternativas para pessoas que forem condenadas por crime que não oferece risco para a sociedade. “E também temos que realizar permanentemente aquele famoso mutirão que havia no passado para identificar os que já cumpriram as penas e, muitas vezes, ficam esquecidos”, disse.

 

Reuniões. Representantes das Apacs ressaltaram durante o encontro que são apartidários. Eles convidaram outros concorrentes ao Palácio da Liberdade para apresentar as demandas. 

 

‘Há margem para uma redução do tamanho do Estado’

 

O candidato do PSDB ao governo de Minas Gerais, senador Antonio Anastasia, declarou ontem que ainda há o que cortar na administração estadual, como secretarias e cargos comissionados, para diminuir gastos públicos. O tucano foi indagado sobre o fato de o governador e postulante à reeleição, Fernando Pimentel (PT), afirmar anteontem que seus adversários estão mentido e fazendo promessas “fictícias” ao dizer que ainda há o que se economizar no Executivo. 

 

Segundo Anastasia, não somente ele, mas todos os candidatos de oposição entendem que é preciso ter uma redução do tamanho da máquina pública. Contudo, o senador disse que não quer polemizar com Pimentel. “Ele tem uma visão de Estado que é diferente da nossa. Eu não vou criar aqui, mais uma vez, polêmica, porque eu faço a campanha no meu estilo e ele faz do estilo dele. Mas, o que é importante saber é que há margem para uma redução do tamanho do Estado”, garantiu.

 

Ao ser indagado que cortes seria possível fazer no Executivo, o tucano afirmou que isso deve ser visto oportunamente, mas pontuou que não é necessário se ter o número atual de secretarias: “Um exemplo é que antes tínhamos uma Secretaria de Defesa Social, e agora ela foi dividida em duas. É melhor se funcionar de forma integrada, como determina a nossa Constituição: Sistema de Defesa Social”.

 

Amostragem. Antonio Anastasia declarou que, mesmo aparecendo em primeiro lugar nas pesquisas de intenções de votos, continua com agenda normal e trabalha com eleição de dois turnos. 

 

Campanha já arrecadou R$ 7,8 mi

 

A campanha do candidato tucano ao comando do Estado, Antonio Anastasia, arrecadou R$ 7,8 milhões de reais e utilizou R$ 5,4 milhões dessa quantia. A direção nacional do PSDB doou para o senador o montante de R$ 2,5 milhões, e outros R$ 2 milhões foram pela campanha do presidenciável tucano Geraldo Alckmin.

 

Segundo o sistema de Divulgação de Candidaturas e Contas Eleitorais (DivulgaCand), a maior despesa feita pelo tucano mineiro até agora foi com uma empresa de comunicação. Foram depositados R$ 3,5 milhões para arcar com produções cinematográficas e serviços gerais de produção.

 

Agenda. O senador Antonio Anastasia cumpre agenda hoje juntamente com o candidato do PSDB à Presidência da República, Geraldo Alckmin. Os dois vão até o município de Pouso Alegre, no Sul de Minas Gerais. A região é conhecida por, historicamente, ser um reduto eleitoral dos políticos tucanos. Depois ele vai encontrar com lideranças em Juiz de Fora, na Zona da Mata.

 

Avaliação. O tucano minimizou o fato de os candidatos ao Senado na coligação Reconstruir Minas, o ex-presidente da Assembleia Legislativa Dinis Pinheiro (SD) e o deputado federal Rodrigo Pacheco (DEM), não deslancharem nas pesquisas de intenções de votos realizadas até agora.

 

Fala. “As pesquisas são realidade daquele momento. Os candidatos estão muito animados, e eu tenho muita convicção da subida deles não só nas pesquisas como também nas urnas, que é onde nós vamos apurar quem vencerá as eleições”, disse Antonio Anastasia.

Thursday, 20 September 2018 13:06

SEAP informa: Fim COMISSÃO DE REMOÇÃO

Rate this item
(0 votes)

Dispõe sobre REVOCAÇÃO DA Resolução que criou a Comissão de Analise de Movimentação de Pessoal - Campe/Seap – e da outras providencias.

 

O SECRETARIO DE ESTADO DE SEGURANÇA PÚBLICA, designado para responder pelo expediente da Secretaria de Estado de Administração Prisional, no uso de atribuições previstas no inciso III, do §1º , do art 93, da Constituição Estadual, no art 23, da Lei Nº 22.257, de 27 de julho de 2.016 e no decreto nº 47.087, de 23 de novembro de 2.016.

 

RESOLVE:

Artigo 1º - Fica REVOGADA a RESOLUÇÃO SEAP nº 60, de 18 de junho de 2018, que dispõe sobre a Comissão de Analise de Movimentação de Pessoal – Campe/Seap e deu outras providencias. 

 

Artigo 2º - Esta Resolução entra em vigor na data de sua publicação .

 RESOLUÇÃO SEAP Nº 106, 18 de Setembro de 2018-09-20

Belo Horizonte, 18 de setembro de 2018.

Sergio Barbosa Menezes

Secretario de Estado de Segurança Pública

(Designado para responder pelo expediente da SEAP)

A Polícia Federal vai ter um centro de cooperação e inteligência eleitoral, para monitorar e identificar candidatos que tenham relação com grupos do crime organizado que atuam no Rio de Janeiro. A informação é do ministro da Segurança Pública, Raul Jungamann, que participou hoje (5), no Rio de Janeiro, da cerimônia de transferência de subordinação do porta-helicópteros multipropósito Atlântico para o Comando de Operações Navais da Marinha.

O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann participa da cerimônia de transferência de subordinação do porta-helicópteros multipropósito Atlântico para o Comando de Operações Navais da Marinha, no Arsenal de Marinha do Rio, na Ilha das Cobras
O ministro da Segurança Pública, Raul Jungmann, participa de cerimônia no Comando de Operações Navais da Marinha, no Rio de Janeiro Tânia Rêgo/Agência Brasil

“Da nossa parte, nós estamos concluindo um centro de cooperação e inteligência eleitoral no âmbito da Polícia Federal, para monitorar e identificar quem são esses candidatos, e ao mesmo tempo evitar que eles cheguem ao mandato e se chegarem ao mandato, sob a batuta do tribunal Superior Eleitoral, que é quem tem competência nesse caso, cassá-los e puni-los”, disse Jungmann.

Segundo o ministro, existem comunidades no Rio de Janeiro que somam 1,1 milhão de pessoas que vivem sob o controle do crime organizado, seja milícia ou tráfico. “Quem tem o controle do território, tem o controle do voto e elege os seus representantes. Então é preciso impedir que os representantes do crime organizado consigam se eleger. E se se elegerem, eles precisam ser cassados, precisam ser punidos. É inadmissível que o crime tenha uma representação parlamentar”, disse o ministro.

Reforço na segurança

No mês passado, o secretário de Estado de Segurança, general Richard Nunes, disse que o reforço das tropas federais e da intervenção no Rio de Janeiro durante as eleições terá como foco 637 locais de votação que estão em áreas sob influência de organizações criminosas. O número corresponde a 12,76% do total e concentra 1,787 milhão de eleitores, ou 14,6% do total.

Na ocasião, o presidente do TRE, desembargador Carlos Eduardo da Rosa da Fonseca Passos, informou que está estudando, com outros colegas do tribunal, a possibilidade da concessão da tutela antecipada de evidência para os casos de comprovação de candidatos eleitos que tenham relação com organizações criminosas. Ele disse também que vai solicitar a criação de um grupo de trabalho para acompanhar os candidatos que tiveram mais votos nas áreas conflagradas.

Friday, 31 August 2018 14:05

Remoções de Agentes Penitenciários

Rate this item
(0 votes)

Prezados (as) Agente Penitenciários de MG, interessados no Procedimento de Remoção. 

 

A Associação AMAFMG, vem recebendo bastante solicitação de pedido de ajuda pelos colegas quanto ao procedimento de solicitação de remoção. 

 

Alguns não conseguindo ter acesso ao link e demais procedimentos.

 

Nesse sentido, a AMAFMG contactou a SEAP na Chefia de Gabinete e profissionais do setor, nos esclarecendo que todo o sistema esta funcionando normalmente, e ainda na oportunidade nos reforçou com o endereço eletrônico, conforme abaixo para que os interessados e aqueles que estão com dificuldade no preenchimento possa ter acesso e realizar com êxodo.

 

LINK: http://sistema.seap.mg.gov/remoção_servidor

 

Reforçamos que todas as 5ª Feiras a Comissão para tratar os pedidos de remoção estão se reunindo normalmente, agilizando os pedidos.

 

A Associação AMAFMG, parabeniza mais uma vez o empenho da Chefia de Gabinete da SEAP e demais membros com objetivo de solucionar os problemas da Categoria.

Rate this item
(0 votes)

A SEAP acaba de informar que os formulários que deverão ser preenchidos para iniciar o processo de compra do armamento de uso restrito serão disponibilizados na intranet até sexta-feira.

 

Além destes formulários, também deverá ser apresentada a seguinte documentação, em sua guia original e 1 (uma) cópia conforme descrito na resolução:

 

"I - Identidade funcional;

II - Comprovante de residência atualizado;

III - Guia de Recolhimento da União (GRU) da Taxa para Aquisição de Material Controlado – nº 20441, com o CPF do requerente; e

IV - Requerimento, com declaração de anuência de chefia imediata.

 

Parágrafo único - Para efeitos de comprovação de capacidade técnica e psicológica, será considerada a identidade funcional com autorização de porte de arma de fogo."

Rate this item
(0 votes)
Page 3 of 38

ACESSOS RÁPIDOS

                  

AMAF MG

AMAF MG
Associação Movimento Agentes Fortes de Minas Gerais

Presidente: Julio Costa

ÚLTIMOS POSTS

NEWSLETTER

Assine a newsletter da AMAF e receba em seu email as principais notícias do Sistema Prisional de Minas Gerais